17:45

Luiza


Não fico com ninguém faz alguns meses. Não sei, estou sem paciência, sem curiosidade de conhecer as pessoas e ouvir o que elas têm a dizer. Nos últimos dias, parece que me caiu uma ficha que nunca imaginei que poderia cair: estava observando algumas amigas se casando, outras comemorando bodas de papel, de lata ou plástico, sei lá, e mostrando seus álbuns de casamento, algumas tendo filhos, outras levando os filhos pro colégio, para a aula de futebol, inglês, balé... e algo que nunca achei que me afetaria me afetou de uma maneira que eu não esperava. Me bateu um pavor da solidão, de não ter com quem dividir o meu futuro, de trabalhar, trabalhar e morrer sozinha, sem filhos, sem ter criado intimidade com ninguém, de morrer abraçada à solidão por causa de toda essa liberdade e todo esse desprendimento que sempre busquei. Mesmo que eu sempre tenha defendido a tese da solidão.

- Notas de Liberdade, Frederico Elboni

Nenhum comentário:

Postar um comentário