00:30

Nos Próximos Dias


Nos próximos dias, você não vai me ver.
E não é porque a verba tá curta ou porque eu não tenho como ir aí. Até arriscaria dizer que fui eu quem dei significado para "o interessado dá um jeito" todas aquelas vezes em que me desdobrei em mil partes pra chegar até você.
Nos próximos dias, você não vai me ver e dessa vez não é porque eu entrei em outra crise de baixa auto estima e tô de frente para o espelho apertando minhas gorduras e olhando para o meu rosto demaquilado enquanto penso em algum milagre que me faça ser bonita e suficiente pra você.
Nos próximos meses você não vai me ver e não é joguinho pra ver se sentes minha falta. Não é expectativa de qualquer iniciativa sua. Não é drama de quem romantiza o próprio sofrimento para no final fazer uma nova música sobre nós dois.
Você não vai me ver porque a tua ausência é o que me salva de ti. Ela não me machuca, não me culpa, não me decepciona, não me abandona. Ela me abraça e não me apunhala. Ela dorme comigo e no dia seguinte, permanece ali.
Sempre que estive em sua companhia, eu me despedacei. Por sorte, tua ausência colou cada parte de mim.
Desde que ela tomou seu lugar, eu não me magoo mais. Pela primeira vez eu te escrevo sem a intenção que isso chegue até você. Eu não preciso mais da sua aprovação, tampouco quero te convencer de algo.
Sinto em dizer que de agora em diante eu viveria mil anos com tua ausência, mas não sou capaz de suportar viver nem mais um dia sob o sol escaldante da tua presença.

- Géssica Espindola

Nenhum comentário:

Postar um comentário