20:38

Ainda Te Amo


É claro que eu ainda te amo, o amor não desaparece depois de um bocado de cervejas, mesmo que seja a mais linda sexta-feira e o mundo resolva sorrir para mim. E ele não se perde num tropeço na rua de casa, num olhar ou num bilhete premiado. Peguei o ônibus às 18:47 e cheguei em casa quarenta minutos depois, te amei durante todo o caminho, e será assim, pois o nosso amor pesa e não é qualquer vento que leva. Não acredito na eternidade do amor e nem nas suas limitações, ele é o que é, e a gente carrega nos bolsos, nas costas, nas mãos. Ainda te amo, mas não é mais por você que eu peço, meu desejo é acordar com o sol batendo na janela semiaberta, com o café posto à mesa - feito por alguém que saiba do meu gosto por café forte - e um coração esquecido, que não lembre o teu nome, que não lembre o nome que você me deu. Eu ainda te amo e sinto lhe dizer que, o calendário não me diz até quando.

Nenhum comentário:

Postar um comentário