04:20

Bailarina


No momento em que ficou na ponta do pé tornou-se bailarina, lembrou que ainda criança jurou que um dia seria. Jurava enquanto negava todas as cirandas na escola, desde pequena acostumada a guardar sonhos no armário. Agora, dançava, equilibrando o mundo nos pés, não o contrário. Por um instante, recordou dores do passado; as pernas amoleceram e as canelas fraquejaram, os pés vieram completos ao chão. Ela respirou, olhou para o céu e sussurrou, "Socorro". Não ouviu qualquer resposta e, sorriu, pelo desespero bobo. Encheu os pulmões de ar, fechou os olhos e expirou com leveza enquanto as pernas esticavam, equilibrando os sonhos num passo, abrindo a porta de todos os armários. A Terra, com medo de fazê-la cair, suavemente foi parando. Logo que ela notou, disse olhando para baixo, "Não para, por favor, gira, gira, pois é teu giro que me fez bailarina. Sim, foi você, você e essas voltas que dá".

Nenhum comentário:

Postar um comentário