23:58

Covardes


Tenho morrido muitas vezes.
Depois, respiro fundo,
Lavo o rosto, sigo em frente.
Não é fácil morrer,
Difícil é renascer,
Fingir-se de sol,
Cegar a lua,
Beber o mar.
Detestável seria ter a covardia
Dos que me mataram.
Eu sigo renascendo,
Eles seguem covardes.

Nenhum comentário:

Postar um comentário