01:04

Texto


Um diia eu te escrevi um texto & isso te fez ter certeza de qê vcê me queria, ali, naquele exato momento. Pra vcê aquele texto era uma coisa inusitada, especial, uma coisa qê nunca tinha te acontecido. Pra miim aquilo era somente eu. Não tinha nada de novo, era apenas eu expressando meus sentimentos da forma qê eu mais sabia fazer. E eu queria saber aonde foi, qê receber um texto meu, deixou de ser algo especial pra ser apenas algo para alimentar o ego de alguém!? Como se cada texto fosse mais uma certeza de qê eu sempre estivesse ali. Eu não vou me omitir pra qê nenhum ego seja inflado, cada um qê se sufoque com o vazio qê quiser encher. Eu não vou deixar de ser eu mesma pra qê alguém não use as minhas palavras contra miim. Não tire de miim o qê me faz colocar todas as minhas ideias na cabeça. Meus textos não são pra vcê. São pra miim. Só pra miim. Só eu vou entender aquelas palavras, só eu vou saber daqueles sentimentos. E só eu vou saber o qê é real & o qê é poesia. Nunca queira me interpretar. Eu posso estar akê agora, amanhã, não mais. Talvez eu te reescreva mtos anos depois, isso não significa qê eu ainda sinto as mesmas coisas. Significa qê vcê fez parte da minha história. E se não quis ficar, se não quis me amar, me deixe em paz pra, pelo menos, escrever sobre vcê.

Para LF

Nenhum comentário:

Postar um comentário