14:33

Amor


Aquela bagunça por dentro
e ainda assim sorria.
O vento que bate na roupa
não seca nada,
mas devia.
Ela sem amor nenhum
e a outra achando que tem dois,
sem saber qual escolher.
Isso não é amor,
é ventania!

Se o amor é a solução
a solução já não vinha,
querendo o coração inteiro
ele teimoso partia,
transformando a solução em comida japonesa,
horóscopo
e boêmia.

Nem todo dia é de amor
isso ela sabia,
que o vento traz de tudo,
às vezes um pouco do que não queria,
e ela recicla,
fazendo do mal vento
um sopro de sabedoria.

Nenhum comentário:

Postar um comentário