16:01

Desestrutura


De
ses
tru
tu
ra.

Você me dá aquela sensação
de poder ser eu mesma
sem armaduras
e nossos olhares são capazes
de causar um incêndio
onde tudo era faísca
come on, baby
que eu voltei até a ser clichê
dizendo que sim quando você
me chama pra visitar
todos esses universos
que cê carrega dentro de si.

Eu sou maravilhosa sozinha,
mas com você sou o dia todo
poesia.

Eu quero conversar contigo
por muitas madrugadas
ouvir sobre o que te faz leve e o que te apavora
ouvir sobre quando você foge
e quando você se demora
quais são os discos que te curam
quais são as músicas que
te recomeçam
por onde você viajou
quais os gostos que cê guarda
nesse sorriso que soltou.

Eu sei que você também tem vontade
de me ouvir um tanto assim
tem partes de você que se reconhecem em mim
cê não sabe disfarçar não
nossas histórias se esbarraram do nada
ou será que a loucura da vida
já tinha a intenção?

Eu to na sua
então pode perguntar
sobre meus livros, minhas constelações
minhas inseguranças
eu te conto sobre todas as minhas revoluções
minhas andanças.

Se quiser me descobrir com a língua
não tem erro, cê sabe por onde começar
e se você quer me ver dançar
é só escolher o som.

Cê sabe que se eu te chamar
cê vai querer ficar
não tem jeito
eu sou esse motim
no seu peito
e eu gosto de caminhar
com quem tem coragem
de viver o que sente
e aí, cê vem?

Nenhum comentário:

Postar um comentário