11:33

Carta Para os Meus Amigos


Eu te conheci por acaso. Eu gostava de ir na biblioteca & vcê gostava de ficar lá ajudando a mulher de lá. A gente nem queria ter amizade com vcê, mas era impossível evitar, prqê vcê começou a aparecer toda vez qê a gente largava cedo & decidia ficar na escola. Às vezes era divertido ter vcê por perto, às vezes era irritante. Mas um diia a gente brigou, vcê me deixou com tanta raiva qê eu bati em vcê. Até hoje eu não sei o qê deu em miim, mas foi um impulso. Todo mundo percebia qê vcê era afim de miim, mas depois desse diia não nos falamos mais. Mtos anos depois um dos meus melhores amigos foi lá em casa & ele levou vcê. E a gente conversou como se nada tivesse acontecido, nunca mais falamos sobre aquele diia. E depois disso vcê passou a ir lá em casa, às vezes. Eu adorava qnd vcê ia & como vcê dava em cima de miim sempre, eu me sentia a garota mais incrível desse mundo. Mas vcê era tão sem jeito, nunca tinha beijado ninguém & isso me fazia não aceitar ter nada com vcê. Mas a nossa amizade fluía. Hoje eu tenho plena consciência de qê eu amava vcê, mesmo me arretando eu te amava & isso fazia eu me sentir bem perto de vcê. A gente fazia 3 segundos por hrs & nem sei como a gente aguentava. Até o diia em qê eu resolvi ceder pra vcê, eu sentia vontade, mta vontade, eu queria qê desse certo, eu queria qê aquilo durasse, qê nunca acabasse. Mas qnd a gente se beijou eu não senti borboletas no estômago, vcê mudou, acho qê por vergonha ou por receio de fazer algo qê me irritasse. E isso fez com qê não desse certo. E foi uma pena. Foi uma pena vcê ter parado de ir lá em casa, da gente não se falar tanto qto antes, de vcê ter ido morar com a sua mãe. Mas vcê foi algumas vezes, mas nunca foi a mesma coisa. Vcê parecia uma pessoa diferente, não era mais aquele menino qê ia lá em casa pra conversar bobagens. E eu me lembro da última vez qê eu te vi, uma amiga minha levou vcê lá em casa de manhã, prqê ela sabia qê eu tinha saudades de vcê. E eu fiquei tão feliz de te ver, tão feliz qê eu achei qê a gente podia tentar mais uma vez, não sei. Eu só não queria te perder de novo. Mas eu nunca mais te vi. Eu não sei por onde vcê anda, eu queria saber, eu queria falar com vcê de novo, eu queria poder ter abraçar mais um vez. Eu já te procurei, mas nunca te encontrei. Eu só queria qê se um diia vcê lembrasse de miim &, se talvez, lá no fundo, vcê sentisse uma saudade, mesmo qê pequenininha, vcê viesse me procurar. Vcê sempre soube onde me achar.

Para D

Nenhum comentário:

Postar um comentário