Fim

- 16:50 ❞

Oi, sou eu de novo.
Depois de tantos meses, criei coragem para te escrever novamente. Ensaiei esse momento várias e várias vezes, mas a cena costumava sair melhor na minha imaginação.
Tenho estado bastante pensativa nesses últimos dias e eu queria te contar. O amor é mesmo engraçado. Eu nunca imaginei que fosse senti-lo dessa forma. Enlouquecedor, avassalador, ensurdecedor, e todos os adjetivos que terminam em dor do mundo. Ele me doeu muito também. Em toda a minha vida, eu jamais acreditaria que amar alguém fosse me transformar tanto. A pessoa que eu era antes de você é totalmente diferente de quem eu sou depois de você.
E aí entra o que eu queria te contar. Passamos por tantas dificuldades, por tantos ápices e por tantos anos, que eu nunca consegui enxergar o meu futuro sem que você estivesse nele. Mesmo depois de ter ido embora pela trigésima vez, jurando que não voltaria. Mesmo depois das noites em que você buzinava em frente ao meu portão e eu não te atendia. Mesmo após todas as vezes em que eu prometi que te deixaria ir embora. Até mesmo assim, você continuava sendo o homem da minha vida. Eu tinha certeza que o meu fim seria do seu lado. Você entende o que eu quero dizer né? Sei que também se sentia assim. Mas eu não sei em que momento, tampouco por quê, tenho me sentido diferente. É sobre isso que quero te contar. Eu não me vejo mais com você. Mão quero mais estar com você. Mas ainda assim, continuo sentindo um amor absurdo por você. É a coisa mais estranha que eu já senti em toda a minha vida. Eu cansei de lutar, cansei de esperar e cansei de você. Eu cansei da gente.
Hoje eu acordei e eu simplesmente soube. Não é mais você. Estou com outra pessoa agora e eu sei que você já sabe. A sua ligação domingo de madrugada me pegou de surpresa. E isso aqui é pra responder a sua pergunta, a mesma que me fez desligar o celular sem balbuciar uma palavra sequer. Sim, eu estou feliz. Há tempos eu não me sentia assim. E já não me importa mais qual será a sua reação, o que você pensa, ou o que você vai fazer a respeito disso. Eu estou feliz e pela primeira vez não tem nenhum dedo seu nisso.
Eu descobri que existem piadas mais engraçadas, cheiros mais agradáveis, mãos mais macias e sorrisos mais bonitos. Descobri que a ausência pode ser sentida e pode ser apreciada. Descobri que o amor também é não querer estar junto. Descobri que eu posso te ver sem te sentir. E isso não me fez querer voltar atrás. E é sobre isso que a vida é feita. Escolhas. Pela primeira vez em quase cinco anos, eu não escolhi você.
Você continua sendo o amor da minha vida, mas agora de uma forma diferente. Eu não sou mais sua. E eu fui por tanto tempo uma versão de alguém que pertencia à você, que agora me sinto completamente oposta de quem eu já fui um dia. E isso é libertador.
Eu só queria que você soubesse, e eu queria te agradecer também. Obrigada por me deixar ir embora. Essa foi a melhor coisa que você já fez por mim.

Nenhum comentário:

Postar um comentário