Justo

- 15:05 ❞

Não é justo, não mesmo! Enquanto eu fico aqui com o coração apertado, sentindo como se estivesse faltando alguma parte de mim, você está aí seguindo a sua vida da forma mais tranquila possível. Como se nada tivesse acontecido. É como se eu não fizesse a mínima falta, e não significasse nada pra você. E dói, dói muito. As lágrimas teimam em querer sair, mas eu me faço de forte, fecho os olhos e respiro fundo, até que elas desaparecem. Não vou demonstrar fraqueza e correr o risco de me machucar mais ainda. Eu tentei, juro que tentei. Tentei me doar, mas nunca fui suficiente pra você e por mais doloroso que seja admitir isso, é a verdade, eu sempre soube, mas só hoje admiti em voz alta. E doeu, como doeu constatar que todo o meu esforço foi em vão, que todas as vezes que me deixei de lado por você, não passei de um tapa buracos pra sua carência. Há uns dias atrás eu quase te falei tudo o que eu sentia, quase consegui colocar pra fora o que tanto me atormentava há dias, meses, anos... Quase te falei o motivo de todas as minhas lágrimas, um lado meu que ninguém nunca soube, mas eu queria que você soubesse e talvez se eu tivesse falado você teria entendido o motivo de toda a minha frieza, o porquê de eu ter me fechado tanto e ser o que sou hoje. Se eu tivesse te contado tudo talvez as coisas estivessem diferentes hoje, mas não deu, eu tentei falar, você não quis ouvir e o momento passou, a coragem se foi junto com o restinho da esperança que eu ainda tinha em você. Em nós.

Nenhum comentário:

Postar um comentário