Astronauta

- 23:56 ❞

Eu fui astronauta até ontem, até que me bateu esse medo de distância. Hoje eu sou jardineiro, pés na terra em segurança. Estou pensando em amanhã ser outra coisa, pois não quero jardinar no outono. Quero ser férias, abraçar a preguiça e namorar o sono. Fecha a janela e deixa eu dormir, até às doze eu sou criança. Mês que vem eu sou bagunça - misturo meias, brinquedos, romance e esperança. Queria mesmo era ser seu, e deixar de ser poeta, pois andei amando demais, e amar demais também cansa. Não sou bom em esperar, troco o dia pela noite. Vivi de sonhos muito tempo, fui astronauta até ontem.

Nenhum comentário:

Postar um comentário