Caos

- 21:58 ❞

Esse texto fala de caos, desordem e assolações e ao mesmo tempo fala de amor. Fala de você. Narrarei o caos existente em meu peito desde que sua vida misturou-se um pouco com a minha: Meus dias são cheios de uma coisa chamada saudade, mesmo que nunca tenha te visto ou tocado sua pele macia. Tocado/sentido seu cheiro; seus cabelos. Sinto falta de algo que nunca vi ou senti, dos teus lábios carnudos a deslizar pelos meus, do seu corpo que de alguma forma é minha morada. Nada é do mesmo jeito, até a maneira que seguro a escova tem um pouco de você. Mudei o lugar das toalhas e os copos saíram do armário para o balcão da cozinha, quem chega sequer nota a diferença, mas eu noto, faço isso, pois acredito que seria assim que você faria, bagunçaria minha casa assim como fez esse reboliço no coração. Não quero a mesma monotonia de antes, não quero a mesma rotina fadigada de mim, quero você. Um chá de você. Um café de você. Um mix repleto de você. Quero minha escova ao lado da sua, nossas pernas encaixadas. E esta devastação que veio junto com sua chegada é apenas um porém, um entretanto pois a minha vontade de te ter consegue ser maior que tudo isso, maior que os quilômetros que nos separam, maior que o preconceito que nos rodeia, bem maior que esse amontoado de gente com mentes pequenas; vidas pequenas; sentimentos pequenos; almas vazias. Coitados! Mal sabem como é bom amar, e jamais saberão o quão perfeito é amar você.

- Flor de Lis

Nenhum comentário:

Postar um comentário